domingo, 6 de julho de 2014

Dreamcast, o console inovador!



Com o fracasso do Sega Saturn em decorrência de suas falhas e também o início do Playstation, a SEGA abandona de vez seu sonho no console e aposta todas suas fichas no Dreamcast. Inovando, como sempre, a SEGA coloca agora à disposição uma modalidade que era pouco conhecida, sim, no Saturn já havia internet, porém com o fracasso do console, a SEGA decidiu por suas ideias no seu novo console.


Com a frase: Então, eu estava pensando sobre o futuro... a SEGA lança em cheio um enigma desconhecido e causando um alvoroço total na comunidade gamers e seus seguidores fiéis, já que estavam decepcionados com o Sega Saturn ( que é uma pena, pois é um excelente console). 
Lançado em 09/09/1999, foi uma explosão de vendas que bateram recordes em um dia com 500,000 mil unidades (NUNCA NA HISTÓRIA DA SEGA UM CONSOLE FORA VENDIDO TÃO RÁPIDO, ATÉ O MEGA DRIVE QUE ERA SUCESSO).  
A Sega se viu novamente com o sonho de dominar o mercado, agora pela SONY. 
Aqui no Brasil ele veio também, mas as pessoas se perguntavam, já que o Saturn estava começando a vender e a pirataria dominava o PlayStation. 
A Tectoy, junto à radio Transcontinental, convidaram as pessoas a conhecer o futuro em suas mãos!
 


Aqui no Brasil ele veio caro e o salário mínimo era baixo demais, a mesma história que o Saturn. Porém a Tectoy foi firme com seus anúncios para não deixar o mercado enfraquecer e mostrar a potência do console aos seus novos jogadores e ao Brasil! Dreamcast, você não é páreo!
Poucas pessoas tiveram acesso ao Dreamcast no começo de sua carreira, e as revistas explodiam com tantas notícias que nos deixavam com uma vontade enorme de obter o console que já possuía o Arcade Stick, Race Controller e também o VMU, que é o charme do Dreamcast.
As revistas americanas disponibilizaram ao longo da vida do Dreamcast nove demos, confiram:

Com a biblioteca fantástica e vários ports dos Arcades mais famosos dos EUA, a SEGA viu que estava fazendo certo. Então decidiu seguir em frente com o console promissor para uma nova geração. Um erro foi ter criado os GD-Rom: Um formato semelhante ao CD-Rom, mas com a diferença que os sulcos do disco estão gravados mais densamente, resultando numa capacidade maior de armazenamento (cerca de 1.2 gigabytes). Foi desenvolvido pela Sega e Yamaha. 
E outro erro foi não ter colocado um analógico a mais no controle, dificultando a câmera em alguns jogos.
Sua vasta biblioteca de jogos foram a atração do console, que fizeram os fighting gamers e entre outros abandonarem o PlayStation para obter, e a Capcom fez bonito apoiando a SEGA até seu último instante de vida. 
Confiram alguns dos seus jogos:
Em 2000, a SEGA foi alem do seu tempo criando um clássico que é a marca registrada do console, SHENMUE!
Lançado no Japão em 1999 e no resto do mundo em 2000, é um jogo produzido e realizado pelo mestre da AM2, Yu Suzuki, criando um novo gênero chamado FREE( Full Reactive Eyes Entertainment), explorando mundo aberto. Era para ser um jogo de RPG com elementos do Virtua Fighter para o Sega Saturn, porém o console estava às moscas e abandonado pelo mercado americano.
Shenmue tem a jogabilidade diferente e traz todos os gêneros ao mesmo tempo dentro do jogo, com o mundo aberto e brigas em 3D com os golpes dos lendários Virtua Fighter. Foi a produção mais cara do seu tempo,  seu custo foi U$47 milhões de dólares e não teve o resultado imediato e esperado. Num disco promocional chamado What's a Shenmue? O presidente da empresa fica com uma cara de desânimo e atrás uma pilha de Dreamcast sem vender e prevendo que não teria jeito. 
Mesmo assim a SEGA não desistiu e criou um game que já era sucesso, mas agora com a modalidade de jogar ONLINE, seu nome? Phantasy Star ONLINE! Porém, numa época em que a internet (pelo menos no Brasil), não tinha uma instabilidade muito boa e era muito cara, a SEGA viu-se de novo metendo os pés pelas mãos. Entretanto revolucionou o segmento online e tudo isso se deve ao Dreamcast e a SEGA.

SEGANET, o que era isso?

SegaNet foi um serviço de internet de um curto período operado pela SEGA, como plataforma dos proprietários do Dreamcast.  Substituíram os PCs para jogar com o Dreamcast e sua arena foi lançada dia 10 de setembro de 2000. Como a internet era baixa naquele tempo, dava muito LAG.
Foi oferecido um desconto de U$200 dólares com o contrato de 2 anos, para incentivar as vendas do Dreamcast, porém as vendas continuaram a cair, e em julho de 2001 a SEGA anunciou o fim do serviço. Neste ponto todos os assinantes tiveram a opção de transferir suas contas para o EarthLink. (Sistema de internet para os PCs).
Os jogos Online do Dreamcast tiveram a permissão do acesso livre aos assinantes dos jogos, compensados pelo SEGANET. Os servidores foram fechados e ativados no outono de 2002 e depois fechado no fim do ano.
Embora o SegaNet estivesse Offline na América do Norte, manteve-se por um tempo na Europa com o DreamArena.
Dreamarena era um serviço de jogos on-line gratuito para Dreamcast na Europa pelo dial-up. Este foi criado e operado pela Sega da Europa com uma parceria entre Internacional Computers Limited, BT e vários provedores. ICL desenvolveu os sites e software, com a BT fornecendo as capacidades dial-up e infra-estrutura de rede, e os ISPs (um para cada país) fornecendo a conexão à Internet dial-up e serviço de telefonia. O serviço foi livre para usar (com exceção das taxas de chamada regular), e os servidores de jogos hospedados dentro dela não poderiam ser acessados ​​a partir da Internet

Dreamarena foi lançado em 14 de outubro de 1999, para coincidir com o lançamento do Dreamcast europeu. O lançamento do hardware foi adiado de sua data inicial que seria dia 23 de setembro, a fim de terminar os preparativos para os recursos de sistema em rede. Apesar do atraso da infra-estrutura no local, era insuficiente para acomodar a demanda inicial, e os usuários encontraram-se incapaz de se registrar e usar o serviço. Esta questão levou queixas suficientes para serem apresentados no show de direitos do consumidor Watchdog da BBC. Com um resultado de denúncias de propaganda enganosa, tiveram que tirar a a referência de jogos Online enquanto a SEGA não arrumasse. A denúncia chegou a passar no Reino Unido Independent Television Commission, em Novembro de 1999.
O site Dreamarena manteve seu segundo projeto há mais de um ano e meio, e foi atualizado regularmente apesar da SEGA sair do ramo de hardware, em janeiro de 2001. No entanto, nos meses que lançaram os jogos de Dreamcast europeus, como Daytona EUA 2001 Outtrigger e Unreal Tournament foram liberados para jogar Online. Houve um mal estar enorme, pois os fãs se sentiram enganados pela SEGA, pois ela anunciou que não existia mais serviço online. O DreamArena foi extinto oficialmente em 2002. Porém sua saída foi em 2007, graças aos fãs que fizeram de lá um site tendo webmail, bate papo e fóruns. 


Por fim, a SEGA foi uma das pioneiras a acreditar na universalidade da Internet. 

O Dreamcast já veio acoplado com o Modem, o que facilitava e muito! 
Quando chegou nos anos 2000, a SEGA estava com medo do PlayStation 2 e criava um marketing contra o console, todavia o Dreamcast fazia muito sucesso e era o 1º lugar dos videogames em compras. Lá na Europa, foi um sucesso imbatível, a SEGA sabia que lá seu terreno era forte desde a era Master System, mostrando a potência do console e os novos jogos que sairiam, os encartes vinham junto com o CD. 
Na frase abaixo, SEGA diz: _ Nossas profundas condolências às suas vendas com dificuldades, para um console que havia acabado de sair.
O design arrojado e diferente do console era seu verdadeiro charme. Quem é que não queria ganhar um Dreamcast assim?

A Sega investiu num Marketing pesado nos Estados Unidos e os comerciais estrelavam os próprios personagens dos jogos. Também muitos seriados aderiram ao Dreamcast como o console SONHO dos americanos, um exemplo disso é o seriado EU, a Patroa e as Crianças.
Querem conhecer um pouco mais da história do Dreamcast, confiram o vídeo do Game Sack feito pelo Joe e Dave: https://www.youtube.com/watch?v=m1UHdcNZVJA

Em 2001, Peter Moore (aquele maldito), decidiu que a SEGA deveria sair do ramo de videogames e investir somente em ser uma humilde software, abandonando todo o SONHO e uma legião de fãs revoltados com a morte prematura do console que foi a inovação e é considerado por muitos o melhor console da SEGA. 

A SEGA queria trazer mais diversão e interatividade para os consoles caseiros e mostrar ao mundo que o Dreamcast é poderoso e incrível. Jogar o Arcade em casa seria um sonho, né? Então... A SEGA é foda!
Fonte: Did You Know Gaming BR.


Nossa reação ao tocar um Dreamcast e sentir a potência do videogame mais criativo da SEGA.

A SEGA fez muita cagada sim, muita mesmo, e a pior foi sair de vez e cancelar diversos clássicos para o nosso querido Dreamcast, um videogame que até hoje os fãs esperam respostas.

Seria legal se houvessem lojas no Brasil iguais a essas. Sim, temos inveja dos americanos nesses aspectos, pois ali é um mundo de magia! Hoje em dia, aqui no Brasil, só encontramos inflação nos jogos e lojas meia boca!

Confiram os acessórios feitos pela SEGA e ASCII que deram uma cara de Arcade ao nosso console mais querido da SEGA (mesmo eu amando mais o Mega Drive, o Dreamcast tem uma cara de Arcade que é maravilhoso):


ASCII Mission Stick: Desenvolvido para jogos de simulação aéreo, tais como Aero Dancing, Aero Wings e afins. Só foi lançado no Japão. Olha que controle lindo, dá até uma ponta de raiva de não termos um deste!
ASCII Pad Fighting Type: Desenvolvido a partir do controle do Saturn, considerado o melhor controle para jogos de Luta, a SEGA, ASCII e Capcom resolveram trazer para o Dreamcast. Os botões R e L foram trocados por C e Z e só serve o VMU no slot, o Puru Puru ou Rumble Pack não funcionam, mas nem importa, o controle é perfeito para os jogos da CAPCOM, a única que ajudou o Dreamcast em sua situação final com jogos incríveis.

ASCII Stick Fighting Type: Controle Arcade para os jogos do Dreamcast, foram também lançados com alguns jogos da Capcom para alavancar as vendas do console no Japão. 
DC Controller Pad: Pegaram o controle do Sega Saturn 3D e fizeram para o Dreamcast, só mudando seu plug e algumas alterações. Parecia ser perfeito, mas há uma desvantagem, o controle não aceita os periféricos, tais como: VMU, Puru Puru e Microfone.
DC Tsunaident 1,2,3: É um plug que permite colocar controle de Sega Saturn, PlayStation1 e 2 e Teclado de PC para jogar no Dreamcast, foi lançado pela Gametech e foi apenas no Japão.
Dreamcast 4x Memory Card: Diferente dos VMUS convencionais de 200 blocos, esse era 4 vezes maior com 800 blocos. Há alguns erros no VMU, dependendo do jogo você precisará apertar o START várias vezes para iniciar e também não tem a tela do VMU, que é a graça e o charme do console, então isenta alguns recursos do Memory Card. Por não exigir bateria, não há aquele barulhinho do início. Foi lançado no Japão e Estados Unidos, teve um até edição especial da Sonic Team para o Phantasy Star Online.
Dreamcast Arcade Stick: Foi desenvolvido a partir das máquinas MAME para o seu console. É considerado o melhor Arcade Stick do Dreamcast e foi lançado nos Estados Unidos pela AGETEC. É totalmente oficial e indispensável para quem curte os games em Arcade.
Dreamcast Dance Dance Revolution: O sucesso da Konami e um dos jogos mais interativos e legais OF ALL TIME chega no console da SEGA, porém só no Japão. Confortável e indispensável, virou item de luxo para os Dreamcastmaniacs, eu quero o meu também, pois adoro as músicas e o jeito de jogar. Só quem foi dos anos 90 sabe como foi essa febre.
Dreamcast Densha de GO! Controle desenvolvido pela PERFEITA da Taito para o clássico jogo Densha de Go, simulador de trem e sucesso por lá. Eu queria muito brincar de maquinista também, pena que uma dessas belezuras custam um RIM. 
Dreamcast Dev. BOX: O Dreamcast Katana Dev.Box é o kit de desenvolvimento oficial para o Dreamcast. É a ferramenta utilizada pela maioria dos desenvolvedores de Dreamcast para produzir jogos do console.O Katana DB é  um computador, mas com quatro portas de controles de Dreamcast e uma unidade de disco GD-ROM. Tem um interruptor região mais diversos recursos de depuração, e é compatível com S-Video, saídas RCA e televisão VGA. A principal diferença entre o Katana DB e um Dreamcast normal é que a Katana DB pode interagir com um computador com Windows (ou Macintosh), bem como vários outros componentes de desenvolvimento para teste e depuração. Katana DBs são itens de colecionadores importantes, não apenas por causa de sua raridade, mas, devido aos possíveis conteúdos que se encontram dentro. Em algumas situações, o protótipo ou jogos inéditos foram encontrados armazenados em segunda mão discos rígidos Katana DB.

Dreamcast Fishing Controller: Produto oficial da SEGA que veio quentinho dos Arcades de sucesso para o console. Feito para os jogos de pesca da SEGA, o periférico é também aceito em Soul Calibur e Virtua Tennis, e não é aceito nas fases do Big the Cat do Sonic. Uma pena, mas é um MUST HAVE de pura diversão!
Dreamcast Gun: Só foi lançada no Japão e na Europa, O Dreamcast Gun é o periférico oficial pistola de luz para o Dreamcast. Tal como acontece com outros periféricos, o Dreamcast Gun é oficial e de melhor qualidade. O Dreamcast Gun tem uma história incomum devido aos acontecimentos do massacre de Columbine High School, nos EUA. Como resultado, o periférico não foi vendido nesta região devido a temores da  imprensa, e, portanto, disponível apenas no Japão e regiões PAL. O Dreamcast Gun é completamente compatível com um Dreamcast americano e NTSC-U.
A Mad Catz, estranhamente, adquiriu os direitos e produziu as pistolas para o Dreamcast nos Estados Unidos. Chamado Dream Blaster, é compatível com todos os games de tiro, e foi o único modo dos americanos se divertirem com os games The House of the Dead, Confidential Mission e outros.



Dreamcast Jump Pack: Conhecido também como Puru Puru Pack no Japão, é o acessório de interação que vibra em determinados pontos do jogo. Pioneiro no Nintendo 64 e sendo muito bem recebido pela crítica, logo todos os consoles obtiveram também o acessório. O acessório foi o último em controles, pois depois vieram embutidos no controle mesmo.





Dreamcast Karaoke: Somente no Japão, eles amam karaoke por lá.




Dreamcast Keyboard: O teclado desenvolvido para mexer na internet juntamente ao mouse Dreamcast e também para alguns jogos: Typing of the Dead, clássico do Dreamcast. Alguns jogos são melhores com o mouse e o teclado, como os de primeira pessoa. Suporta os jogos: Chu Chu Rocket, Cyber Troopers Virtua On, Half Life, Heavy Metal Geometrix, Hidden and Dangerous, Phantasy Star Online 1 e 2, Planet Ring, Quake III Arena, Sakura Taisen Online, Evangelion, Starlancer, Rainbow Six, Soldier of Fortune, Unreal Tournament, e Worms.

Dreamcast Microphone: Inicialmente desenvolvido e como bundle pack no jogo SEAMAN, o acessório também é compatível com outros jogos: Alien Front Online, Heisen  Mahjong Shou, Planet Ring, Propeller Arena. Esse periférico que incentivou o XBOX lançar seu microfone e a Sony no PlayStation 3.







Dreamcast Modem Cable: O cabo oficial que liga o modem ao cabo de telefonia, só no Japão.





Dreamcast Mouse: Acessório para utilizar com o Teclado. Confiram alguns jogos compatíveis: Half-Life, Heavy Metal Geometrix, Hidden and Dangerous, Outtriger, Quake III Arena, Railroad Tycoon II, Rez, Soldier of Fortune e Stupid Invaders.





Dreamcast Racing Controller: Controle de corrida oficial da SEGA e indispensável para jogar os games de corrida lançados para o Dreamcast, principalmente Crazy Taxi e Eighteen Wheller.


Dreamcast to Neo Geo Pocket: O cabo que conecta o Neo Geo Pocket com o Dreamcast e é compatível em alguns jogos: Bikkuriman 2000 Viva! Festival!, Capcom vs. SNK: Millenium Fight 2000, Capcom vs. SNK 2, Cool Cool Toon, The King of Fighters 99 e Evolution.

Dreamcast Twin Stick: Feito para jogar Virtua On, porém só cabe um VMU e foi lançado apenas no Japão.






Dreamcast VGA: Um adaptador que permite conectar a um monitor que aceite VGA e alavancar a qualidade dos jogos. Foi a frente de seu tempo, e conseguiu algo que o GameCube e PlayStation 2 não conseguiram, uma qualidade superior, porém nem todos os jogos de Dreamcast são compatíveis. Lançado apenas no Japão, mas foi lançado nos outros lugares por empresas não oficiais.


Massive Memory Card Plus: Desenvolvido pela InterAct, a empresa do Game Shark, dessa vem é um memory card com 1600 blocos. Porém é dividido entre 800 a 800, o botão A alterna e não tem a tela de VMU.
MP3 DC: É um CD de Boot que permite escutar músicas em MP3, ou seja, várias músicas num CD só. É de uso limitado, chegando apenas a 100 músicas. 
Pop N' Controller: Jogo de sucesso, a Konami resolve lançar para o Dreamcast, porém só no Japão.
Samba de Amigo Maracas: É um controle especial para o Dreamcast e o sucesso do jogo da Sonic Team. Aceita também os jogos Mr Driller da Namco e Cool Cool Toon da SNK. É meu sonho ter um desses. 

Visual Memory Card:
É um cartão de memória do Dreamcast. mbora a sua função mais básica é a de um dispositivo de armazenamento removível, VMU tem também outros objetivos. Ela pode servir como um monitor auxiliar  durante um jogo normal e, por meio do uso de software adicional, pode atuar como um mini game independente do Dreamcast. É o charme do console!  Confiram algumas edições especiais do VMU:





Edição do jogo Boy Kanipan no Japão.
    
Versão do Game Godzilla.
Versão do jogo GrandChannel.

CarbonBlack


  
Camouflage ,WoodBlack e Leopard Edition.



  
Stramberries
Marble


A Capcom também lançou sua versão especial: 


A Sonic TEAM e SEGAGAGA lançam edições especiais, a do SEGAGAGA lembra as cores do Mega Drive.








Confiram as propagandas dos jogos de maior sucesso no Dreamcast!


Dead or Alive 2, o melhor ficou no console e é um dos meus favoritos de luta até hoje. Jogabilidade e gráficos que mostraram a potência do Dreamcast e que ele não estava para brincadeira, pena que a SEGA não tinha mais recursos para continuar com a guerra. Tanto que a Tecmo pediu para a SEGA a licença para adicionar os personagens do Virtua Fighter em seu jogo que foi sucesso na certa, DEAD OR ALIVE 5.


Exclusivo no Dreamcast e considerado o melhor Street Fighter de todos os tempos, o jogo é um clássico. A Capcom o trouxe para o XBOX e PSN em 2010 e ainda é um sucesso, porém quem jogou na época sabe bem do que eu falo. Um MUST HAVE.


Outro Crossover de sucesso para o Dreamcast e exclusivo do console. Juntaram a turma do KOF com os personagens da CAPCOM e foi sucesso imediato!


O início do muliplayer começa aqui! Como esse jogo é legal jogar ONLINE, ainda é possível hoje em dia. 


Junte a Galera e jogue sem parar, MUST HAVE.
Melhor Marvel EVER e no Dreamcast!

A SEGA sempre polêmica e com o MARKETING agressivo, mostrando o sucesso dos jogos de tênis. Outro MUST HAVE.


Mostraram a potência do console nesse Resident Evil.




O Dreamcast fez várias inovações, mas JET SET Radio é um dos meus favoritos e mais divertidos do console. 


INDISPENSÁVEL, só digo isso.


 
Crazy Taxi 2 e Alone in the Dark, the New Nightmare.

Sucesso no console e um dos meus favoritos. Pena que depois da ERA Dreamcast ele virou exclusividade da Nintendo.


Chu Chu Rocket, muito divertido e estratégico!


DIVA do console! 


Muito inovador, você cria um peixe que é totalmente malcriado e impertinente., só vive mau humorado e não vai com a sua cara! rs

 
Jogo de tiro bem legal e um dos melhores dos jogos de carro.


O pioneiro dos Survivor Horrors do Dreamcast.


Não curto muito, mas é bacaninha. 


Dreamcast também teve revistas e as melhores, tanto nos EUA, UK, Japão e Brasil!
Confiram as do Reino Unido - UK, são lindas e perfeitas!


O Dreamcast mudou o rumo dos consoles atuais e com certeza seu modo de ver jogos! Dreamcast é um MUST HAVE em nossas coleções e a despedida da SEGA!



Dá até para confundir o Dreamcast com o Original XBOX e GameCube!


                             CONFIRAM ALGUNS ITENS DO DREAMCAST NO JAPÃO: 


Um suposto vinil do Dreamcast foi lançado com as soundtracks dos jogos de sucesso do console. Não sei ao certo, mas com cara de Japão.
Olha essa blusa do Jet e a bolsa do Dreamcast, que perfeição *______*

Bicicleta do Dreamcast.

Viaje com estilo!

Edição de colecionador do jogo Jet Set Radio.

Televisão que o Dreamcast já vinha acoplado!
Já pensou que se fosse verdade???





Urso de pelúcia do Seaman.
Olha que lu$HO!


HEY HEY, COME ON OVER!



Radio Dreamcast, oiiii???

                                                     CURIOSIDADES:
Fable seria lançado para o Dreamcast, porém com o final do console, o XBOX adquiriu os direitos e virou exclusivo da Microsoft!



Pessoal, ainda dá para jogar Online hoje em dia, é trabalhoso, mas compensa. E NUNCA deixem seus Dreamcast morrer, eles são uma fonte de diversão que vários consoles da modernidade não tem! FOI PIONEIRO NO MODO MULTIPLAYER ONLINE.



A Fase do Sonic Adventure 2 foi inspirada nas ladeiras de San Francisco, California. Aí está a equipe e Yuji Naka no meio. O nome da fase??? Quem não se lembra da CITY ESCAPE.

Michael Jackson adorava participar dos jogos da SEGA, tanto que quando foi convidado ficou extasiado e muito feliz. Dizem que ele fez até de graça suas vozes para o game Space Channel 5.

Fonre: Did You Know Gaming BR.

É possível jogar PlayStation 1 com o Bleemcast, entretanto não são todos os jogos e gastam muito da lente do console. O bom mesmo é jogar os jogos com os cds lançados: Metal Gear Solid, Tekken 3 e Gran Turismo.

Criaram até um IPOD no Japão com o Formato DO VMU! 



Os protótipos de como seria o controle do Dreamcast! Olha só, que diferente e engraçado!
\
NO anime SEGA HARD GIRLS, temos até uma maga que nos resvala!

Obrigado SEGA e Dreamcast, por tudo! Agora é só o início!