quarta-feira, 9 de julho de 2014

STREETS OF RAGE e sua estrela, Blaze Fielding!



A Sega é demais, viu que nos States o Master não teria chance, então criou o Mega Drive: O console líder dos 16-bits e meu videogame favorito (SIM, JÁ DISSE ISSO MILHARES DE VEZES).
A SEGA investia pesado em jogos que trouxessem entretenimento e muitas horas de diversão aos seus jogadores, quando a Capcom lançou Final Fight para o SNES, a Sega precisou dar o troco. E o troco chamava-se Streets of Rage!



Explorando o console dela, criou um jogo fabuloso e querido por todos ao redor do mundo.  Um dos primeiros beat-and-ups, o jogo logo virou febre. Lembro-me que jogava tanto com meu primo e esquecia as horas – Ah, a infância! – alugava e procurei loucamente o Streets of Rage 3, que é meu favorito.
Entretanto, a personagem Blaze me chamou mais a atenção, por ser uma das primeiras protagonistas (pelo menos no Mega Drive) a lutar e detonar os vagabundos!


Blaze já DIVANDO AQUI!

Streets of Rage 1: Esta cidade já foi um lugar feliz e tranquilo... Até que um dia, uma poderosa organização criminosa tomou conta da cidade. Um sindicato cruel logo teve o controle do governo e até mesmo da policia. A cidade tornou-se um centro de violência e de criminalidade, onde ninguém está seguro.Em meio a essa turbulência, um grupo de jovens determinados jurou limpar a cidade. Entre eles estão Adam Hunter, Axel Stone e Blaze Fielding. Eles estão dispostos a arriscar qualquer coisa ... até as suas vidas ... no ... Streets Of Rage.
Cada um dos personagens juram até a morte em limpar a cidade e procurar o criminoso que está fazendo isso, o Mr. X.
O Legal é que você pode escolher se quer ser o vilão ou salvar a cidade. Chamar a polícia sem querem também frustrava.

Com a Blaze ao nosso lado, a vagabundagem estariam com os dias contados!
O jogo vendeu 2,6 milhões de cópias em todo o mundo e, assim, gerou as sequências do Streets of Rage 2 (1992) e Streets of Rage 3 (1994) MEU FAVORITO!

A quarta versão seria lançada para o Saturn com a parceria da Core Design, mas a Sega se desentendeu alegando que eles iriam portar para os outros consoles e tudo o mais, que a Core pegou o seu conteúdo e transformou em Fighting Force! ( VEJAM NO POST ANTERIOR EM JOGOS CANCELADOS DO SATURN).
Blaze não curtiu isso, SEGA!
Recentemente, uma equipe denominada Bombergames disponibilizou na rede um remake de Streets of Rage. Streets of Rage Remake une as características dos três jogos da série em um único jogo, incluindo todas as fases, personagens e músicas, além de também possuir fases e músicas originais, entre outras coisas. (que coisa, a SEGA foi incapaz disso e eles sambaram lindamente e o jogo é tão bom que é indispensável)!
Porém uma semana depois que foi disponibilizado na internet, o jogo foi tirado do ar a pedido da Sega. Em comunicado, a Sega anunciou que tomou medidas para proteger seus direitos de propriedade intelectual. Apesar desse fato, Streets of Rage Remake é facilmente encontrado para download na internet.



Trilha Sonora
As músicas do game foram compostas por Yuzo Koshiro, que também fez a trilha de The Revenge of Shinobi, e seguiam uma linha techno-rock, misturando guitarras e baterias eletrônicas. Atualmente, os CDs com as trilhas sonoras de Streets of Rage valem um bom dinheiro em leilões. Mas foi com Streets of Rage 2, que Yuzo Koshiro atingiu o auge de sua carreira.

Streets of Rage 2 é a continuação de Streets of Rage, sendo que seu enredo basicamente conta que no passado os jovens ex-policiais Axel Stone, Adam Hunter e Blaze Fielding comemoravam a vitória contra o sindicato criminoso, após um ano de sua queda. Axel virou guarda costas e Blaze agora trabalha como professora de dança, porém Adam resolve se juntar novamente a polícia e passa a morar numa pequena casa junto com seu irmão mais novo.

Um dia Axel recebe um telefonema desesperado de Eddie "Skate" Hunter (também conhecido como Eddie "Sammy" Hunter) dizendo que ao chegar na pequena casa, ela estava toda revirada e destruída. O desaparecimento de Adam marca o começo do pesadelo, em poucos dias o sindicato estava de volta às ruas, agora totalmente renovados e com muitos novos lutadores criminosos, desde ninjas armados até mesmo motociclistas que arremessam bombas.



Axel contata Max, seu velho amigo; Blaze e Sammy (Skate), e decidem se unir para destruir novamente a organização criminal do sindicato, resgatar Adam e restabelecer a ordem e a paz.
O jogo foi o maior sucesso e considerado o melhor da Franquia, virou best-sellers que eles até colocaram como brinde no console nos States, veja o comercial: https://www.youtube.com/watch?v=dVPno1eYbVM
Agora com personagens maiores e enredo mais envolvente, precisavam, também, de vagabundos melhores!
O jogo sofreu várias censuras nos Estados Unidos, a começar pelo modo da voadora da Blaze, que mostrava sua calcinha. Achavam indecente demais. Tanto é que o cartucho japonês não roda nem com o Mega Key, aparece a frase falando que não é permitido jogar nas Américas do Norte e do Sul.
Blaze em Streets of Rage 2.

Blaze em Bare Knuckle 2.

Streets of Rage 3 é mais um jogo da série Streets of Rage Sendo sua terceira e última edição, e por acaso a mais diferente porque na sua conversão para os Estados Unidos foi alterada em vários sentidos, personagens, roupagem e afins. 
É um jogo de visão lateral 2D, desenvolvido pela SEGA, para a plataforma do Mega Drive, lançado no ano de 1994. É o capítulo final da série Streets of Rage
O jogo passou por várias melhorias comparado ao Streets of Rage 2, como uma trama mais complexa, múltiplas sequências finais, fases mais longas, fases melhor desenhadas (com fases interativas e a volta de armadilhas como pontes) e jogabilidade mais rápida (com movimentos de esquiva e desviar). Armas só podem ser usadas por algumas vezes e depois quebram, e podem ser integradas a movimentos únicos com certos personagens, personagens secretos foram adicionados e também algumas animações entre as fases, para dar mais profundidade à história.

A história é que o Mr. X colocou várias bombas na cidade e culpou o Axel, fazendo também vários robôs em forma de pessoas (as mais famosas).

A versão japonesa tem o Ash, um homossexual que parece com o Freddy Mercury. Ele é demais, pena que a SEGA dos States cortaram sua participação. Chupa, States, o Japão sim é primeiro mundo.



Mas não importa, a gente só vê Blaze e Blaze. Ela foi a marca registrada do Streets of Rage pela sua beleza e outras coisitas mais. Hehehe


                










Vejam a evolução da Blaze ao longo do jogo e responda, qual das três é a melhor?


A série também ganhou os próprios bonecos, olha que massa! Quero todos!!!!!



Fãs personalizam seus consoles, vocês teriam coragem?

 O Sainst Row IV fez uma homenagem no próprio jogo para o SOF. Olha que clássico!



 É isso, galera, o que ficou marcado na memória mesmo foi a linda Blaze Fielding com todo seu charme e tática de luta.

Espero que tenham gostado!

Isso só poderia ter sido no melhor videogame!



A casa caiu, Streets, fodeu! Quero ver matar essa gangue agora!