terça-feira, 15 de julho de 2014

Jogos de sucesso do Dreamcast que foram aos outros consoles.

Dreamcast, você só foi continuado1

Quando a SEGA estava no fim de sua vida como hardware, as empresas Sony, Microsoft e Nintendo especulavam sua compra para tornar-se poderosa, entretanto nenhuma vingou. (AINDA BEM). Com isso, pareciam moscas varejeiras em cima da carniça, olhando todos os jogos que foram produzidos para o Dreamcast e os que estavam em produção, levando-os aos seus consoles para obter mais pessoas (os fãs da SEGA no geral). Fiquei tão desapontado quando vi os jogos do Dreamcast indo para os outros consoles e especialmente o Sonic, que é um dos meus personagens favoritos da SEGA.
A Nintendo foi com todo olho gordo para cima do Sonic, seu rival por muito tempo e tirando a supremacia do Mario e queria para sua empresa, mas a SEGA só cedeu a licença do jogo e não vendeu sua marca.
A Microsoft foi esperta, viu que console americano é difícil de fazer sucesso no Japão, por isso pegou os sucessos da SEGA para conquistar o público japonês e, assim, entrar de vez no mercado de consoles.
A Sony ficou com a franquia do Virtua Fighter, sucesso que bateu de frente contra o Tekken na era 32 bits.

A Sega tirou o sonho e os jogos que fariam sucesso no Dreamcast, mesmo que viesse à falência (o que era inevitável), mas deixasse os jogos no console, poxa vida!

Vamos conferir os sucessos e jogos que estariam sendo desenvolvido para o Dreamcast, entretanto a SEGA portou para os outros consoles.

O primeiro é o clássico que é a cara do Dreamcast!

CRAZY TAXI: Hey, Hey, Hey, Come on Over the cabin for the Crazy Taxi! Se você leu ouvindo a voz clássica, parabéns, você tem bom gosto.
O port saiu para o PlayStation 2 e Nintendo Game Cube, entretanto ficou uma porcaria, um lixo. Toda a originalidade ficou no Dreamcast. As músicas, o gráfico, o Race Controller, a diversão ficou no Dreamcast. É considerado uma das franquias entre os maiores sucessos da SEGA. Uma pena ter virado "puta".

SHENMUE II: Shenmue II começa logo após a conclusão do primeiro. Enquanto Shenmue contou a história do primeiro capítulo da saga, o segundo jogo conta a história dos terceiro, quarto e quinto capítulos. O segundo capítulo começa quando ele vai à Hong Kong buscar paradeiros e pistas do Lan Di. Na versão do XBOX vem extras, você tem o filme, pois a SEGA do Japão não admitia que um jogo tão caro e o Marco inicial do Dreamcast fosse para o console, embora Peter Moore desejasse. Quando a Microsoft comprou os direitos de Shenmue II, a SEGA do Japão ficou com muita raiva, pois lá e na Europa o console estava com sucesso e decidiu continuar seu projeto para o Dreamcast. Ainda bem, mas a versão do XBOX é a cara do Dreamcast (sim, eu vejo o XBOX videogame da SEGA). Mesmo assim é tão bom ter no console.

PHANTASY STAR ONLINE = EPISODE I and II: A SEGA revolucionou com a chegada de um RPG de renome, com a interatividade por meio da internet para jogar com outros players ao redor do mundo. O jogo saiu para o Dreamcast no final de 2000 e fez muito sucesso, que a Microsoft - para mostrar que iria revolucionar o modo de jogos ONLINE - decidiu ficar com a franquia. Entretanto o Game Cube também ficou, porém o presidente da Nintendo falou que o console não teria acesso à internet, então só poderiam jogar Offline em quatro jogadores. A Microsoft aproveitou para usar o Voice Chat também.


GUNVALKYRIE: Um jogo de tiro fabuloso para o XBOX, mas que estava em desenvolvimento no Dreamcast. A atmosfera do jogo é totalmente interessante, a jogabilidade é incrível. Uma pena que a SEGA tenha vendido antes de sair no Dreamcast.


SKIES OF ARCADIA: A Nintendo viu que o RPG da SEGA fez sucesso e recordes de vendas para o Dreamcast, que resolveu tirar uma casquinha e levar o SoA para o Cube. Os gráficos foram melhorados, mas bem pouco, com a mesma jogabilidade do Dreamcast. Seria lançado para o PlayStation 2 e XBOX, mas foram cancelados para ser exclusivo do console da Nintendo.


RENT A HERO: Um jogo de RPG do Mega Drive que foi recriado para o Dreamcast do Japão. Um pouco depois a Microsoft lançou somente no Japão, para conquistar o público e mostrar que a SEGA ainda existia.
Eu adoro este jogo, porém no Dreamcast. O VMU faz toda diferença!








SUPER MONKEY BALL: Já pensou jogar com o AiAi no Dreamcast, utilizando o analógico e o VMU, pois é isso tudo foi para o Cube. hehehehe
Considerado um dos melhores puzzles e esquecido pela SEGA, retornou em 2001 para os consoles caseiros (Cube), para utilizar o recurso do segundo analógico (botão C).


TOE JAM AND EARL III: Estava em desenvolvimento para o Dreamcast, inclusive é jogável hoje em dia, graças ao vazamento do Beta. O bom é que havia conteúdos exclusivos para a época (o início dos DLCs). A jogabilidade é legal e divertida, mas NUNCA irá superar o primeiro do Mega Drive. O jogo traria o saudosismo dos funkeiros (Não esses daqui do Brasil, argh). Será que foram eles que queriam mostrar ao funk para os humanos e mostraram errado?

SONIC ADVENTURE (Quis morrer quando o vi como exclusivo no Game Cube, me julguem, não admitia tamanha heresia a SEGA abrir as pernas tão cedo para a Nintendo, sua arque inimiga!)
Com o nome de Sonic Adventure DX: Director's Cut, melhorou a boca do Sonic e também vários bugs que havia no jogo, dando novas cores. Todos os jogos do Sonic para o Game Gear vinham de brinde, ARGHHHHHH!!!!! Me matem! Sega, sua filha da puta! Mais missões, mais tudo e no Dreamcast, que ela poderia ter arrumado, nada!Nintendo, sua safada!

SONIC ADVENTURE 2: Aqui eu já gostei, tem o modo batalha que é considerada a melhor parte do jogo, mas não é melhor que a versão do Dreamcast. O menu 2 players foi totalmente redesenhado. Todos se enfrentam. Os personagens secretos tem que ser desbloqueado somente com o Rank A. Dark Chao apareceu e também agora você joga o Chao Garden com o Game Boy Advance. A Nintendo vendo que a SEGA não é mole não!


18 WHEELER AMERICAN  PRO TRUCKER: Outro sucesso do Dreamcast que saiu quentinho dos Arcades e com a mesma qualidade. Confesso que quando jogo, ainda fico abismado com tamanha qualidade e perfeição. Jogar com o Race Controller é bom demais. Os ports foram lançados pela Acclaim em 2001 para os consoles PlayStation 2 e Game Cube, mas a conversão ficou péssima. A Acclaim já estava mal das pernas e sua salvação era portar os sucessos do Dreamcast para os outros consoles. Pelo menos a SEGA deixou original para o console.

SEGA GT 2002: O jogo estava planejado em 2001 para o Dreamcast, porém as coisas não iam muito bem. A SEGA decidiu levar ao XBOX. Tudo bem, Sega, eu deixo, pois o primeiro é muito melhor.



ECCO THE DOLPHIN = DEFENDER OF THE FUTURE: Quando eu vi este jogo saindo para o Dreamcast, vi que a SEGA tinha uma máquina potente, porém ainda em exploração. Pois se ela tivesse mais tempo, sairiam jogos fabulosos. E não venham falar que DVD faz toda diferença, pode até fazer, mas vejam o PlayStation 3 e o XBOX 360, pau a pau nos gráficos. O jogo é lindo, mas saiu péssimo para o PlayStation 2, com uma qualidade muito inferior.

HEADHUNTER: Outro jogo foda que saiu apenas na Europa ( EU TENHO, IMPORTEI, NECESSIDADE). O jogo é maravilhoso e mostrou a potência do console, em 2001. Eu jogo toda vez e é tão bom, não há palavras para descrever. Saiu para o PlayStation 2, mas não tem a mesma graça que no Dreamcast, porém a Acclaim não sabia portar esses clássicos da SEGA. Ainda bem, jogo do Dreamcast deveria ficar por lá.

VIRTUA TENNIS 2: Um dos últimos jogos do Dreamcast e foi portado para o PlayStation 2 pela Acclaim. O jogo é divertido, muito melhor que a primeira versão. No Dreamcast tornou-se clássico demais, contudo o primeiro é clássico demais. Para quem gosta de tênis, é uma boa pedida.



VIRTUA FIGHTER 4: Não, Não, Não, Não. Não me conformo até hoje por que a SEGA fez uma filha da putagem com o seu público!!!! O jogo é o melhor da franquia para mim e foi sair para o console que matou o Dreamcast, literalmente. Um clássico, os personagens melhorados, mais golpes, tudo perfeito. Saia sempre nas edições das Dreamcast Magazine, mas a SEGA resolveu lançar tudo para a Sony em 2001, mesmo quando já iria sair para o Dream. Uma pena irreparável. Para se ter noção, o jogo ainda é em CD-Rom e não em DVD.

PANZER DRAGOON ORTA: Simplesmente perfeito. O jogo seria para o Dreamcast, entretanto a SEGA fez com exclusividade para o XBOX, com vários bônus, incluindo o primeiro Panzer Dragoon entre outros. Foi até versão limitada do console no Japão, item raro e caro hoje em dia. Tudo é perfeito naquele jogo. Não há palavras para descrever e ódio para comentar que seria mais legal no Dreamcast.

TEST DRIVE LE MANS: Lindo no Dreamcast, a Sega lança para o PlayStation, porém só no Japão em 2001. Eu não sei, mas perde a graça e o brilho. Não há explicação ou definição para comentar o que eu sinto e vocês, provavelmente, sintam também.








SHINOBI: Outro clássico e lindo que saiu para o PlayStation 2, mas era para ser o Dreamcast. A Sega já estava em desenvolvimento, porém como o console já estava em sua vida final, ela resolveu lançar para o console da SONY.

REZ: Lançado para o Dreamcast na Europa, o jogo foi portado pela Acclaim para o PlayStation 2. O jogo é diferente de tudo já visto, mas não há graça jogar fora do Dreamcast. Ele foi desenvolvido por várias pessoas que faziam parte do Team Andromeda, nele é notável os efeitos sonoros típicos encontrados na maioria dos rail shooters com música eletrônica, sons e melodias criadas pelo jogador quando destrói seu alvo, levando a uma forma de sinestesia, reforçada por uma Trance opcional, periférico lançado pela ASCII. Embora Rez foi aclamado pela crítica, não teve muita atenção comercial nos Estados Unidos, onde não conseguiu sair para o Dreamcast.

 FERRARI F355 CHALLENGE: Clássico da Am2 e lançado para o Dreamcast, o jogo foi portado para o PlayStation 2.  Não há o que falar, houveram poucas mudanças.







SPACE CHANNEL PART 1 AND 2: Nãooooooo! Ulala, você é do Dreamcast!
O jogo foi lançado como edição especial, contendo os dois jogos da DIVA. Entretanto, o que me irrita, foi a versão do Dreamcast sair quase em 2002, em poucas unidades e em versão colecionador. A SEGA não estava nem aí, pelo menos a dos States. Isso me frusta demais!





SEGA BASS FISHING: Tão lindo e revolucionário no Dreamcast, ainda mais com o periférico da vara, fez com que o console mostrasse o poder que possuía. Quando foi para o PlayStation, ficou sem graça!


SEGA, uma pena você ter feito isso, mas....